De frente pro Crime

Patrícia Melo e Lionel Shriver em debate sobre violência

Patrícia Melo e Lionel Shriver em debate sobre violência

Esta mesa reuniu as escritoras Patrícia Melo e Lionel Shriver, em um debate sobre violência, maternidade e escolhas com mediação de Arnaldo Bloch.

Patrícia Melo é roteirista, dramaturga, escritora e fiel seguidora de Rubem Fonseca. Ela é autora de Acqua Toffana, O Matador (vencedor do prêmio Deux Oceans e Deutsche Krimi), Elogio da mentira, Inferno (vencedor do prêmio Jabuti), Valsa Negra, Mundo Perdido, Jonas o compromanta e o recém lançado Ladrão de cadáveres. Patrícia é reconhecida como uma das maiores representantes da literatura policial brasileira.

Segundo a autora, a maldade é natural ao homem e a bondade é ensinada. Em seus livros, Patrícia trata de temas como a crueldade e a mentira características da natureza humana. Seus personagens seguem por um rio onde possuem escolhas para seguir um caminho, que seria a dos crimes.

A renomada escritora Lionel Shriver em Precisamos falar sobre Kevin (livro recusado por 30 editoras), conta a história de uma mãe que narra a vida de seu filho, que em um dia resolve matar todo mundo do colégio. Segundo ela, não se deve rotular uma pessoa como má, apenas porque está longe da nossa compreensão. Ela publicou também: The emale of the Species, Checker and the Derailleurs, Ordinary Decent Criminals, Game Control, A perfectly Good Family, Mundo pós aniversário e o seu mais recente livro So much for that.

A mesa começou com a leitura de trechos dos livros mais recentes de Lionel. O debate foi muito interessante e nos levou a pensar na violência e perfil da natureza humana. O que leva um garoto a matar? O que leva as pessoas a cometer crimes? Será isso produto da sociedade atual? Uma pessoa que é invisível na sociedade, sem importância nenhuma, pode vir a querer ser o centro das atenções, e isso pode resultar em genocídios e crimes. Seria Kevin tão ruim se não houvesse sido rejeitado pela mãe desde o nascimento?

Finalizo esse texto com a ultima fala do filme: O homem do ano. Uma adaptação do livro O Matador de Patrícia Melo, por Rubem Fonseca.

"A vida é uma coisa engraçada, se você deixar, ela vai sozinha, como um rio. Mas você também pode botar um cabresto e fazer da vida o seu cavalo. A gente faz da vida o que quer. Cada um escolhe a sua sina. Cavalo ou rio."

Créditos: Gabriela Marsico

Anúncios
Esse post foi publicado em FlipZona 2010. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s