Nelson Pereira dos Santos: uma vida no cinema

Nelson Pereira dos Santos, que tem sua vida dedicada ao cinema, participará de uma mesa na Flip deste ano.

Além de trabalhar em jornais, o cineasta paulistano é ocupante da sétima cadeira da Academia Brasileira de Letras e foi um dos precursores do cinema novo no Brasil. Enquanto companhias cinematográficas iam à falência, ele conseguiu colocar em suas produções muito conteúdo e informação, utilizando custos mais baixos.

Chegou a filmar o longa Como era gostoso o meu francês, em Paraty, com participação da população local no elenco. Recebeu indicação ao Urso de Ouro e venceu com Melhor Roteiro, Melhor Diálogo e Melhor Cenografia, no Festival de Brasília. Produziu de tudo um pouco: curtas, documentários e adaptações para longas, como Vidas Secas e Memórias do Cárcere, ambos de obras do autor homenageado da Flip deste ano, Graciliano Ramos.

Com mediação de Claudiney Ferreira, a mesa que contará com a presença de Nelson Pereira dos Santos acontece no dia 5 de julho, às 21h30, na Tenda dos Autores. Haverá transmissão ao vivo para a Tenda do Telão.

Veja trechos de alguns de seus filmes:

Memórias do Cárcere (1984)

.
Como era gostoso meu francês (1970)

.
Texto: Marina Luiza, 17 anos
Revisão e edição: Ana Liz Justo
Imagem: reprodução extra.globo.com

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s