‘A Flip traz a Paraty gente fina e intelectual’

Fomos às ruas para saber o que o público está achando da 11ª edição da Flip. Conversamos com comerciantes, turistas e moradores de Paraty. Percebemos que a grande maioria está bastante empolgada com o evento, apesar de haver também algumas críticas.
Confira os depoimentos:

“Por enquanto está tranquilo o movimento, embora aumente a cada dia. A Flip é uma das festas que mais traz lucros aos comerciantes, pois acontece tanto de dia quanto de noite. Ganha até mesmo do Carnaval.”
Andréia Maria Amatto Rezende, 37 – vendedora de churros, de Paraty – RJ

“A Flip traz a Paraty gente fina e intelectual. É um evento muito bonito, que cabe bem na cidade. É a cara de Paraty! O movimento está bom. Como dono de um restaurante, posso  afirmar isso.”
Nicolas Didier, 50 – empresário, de Paraty – RJ

“Como já estive na Flip em 2011, consigo fazer uma comparação entre as duas edições. Bem, este ano a programação está um tanto distante do nosso meio. Acho que deveria ter mais palestras de brasileiros, para ficar mais interessante.”
Luiz Fernando, 36 – professor, de São Paulo – SP

“Estou vendo muita gente de fora se divertindo e a população local fica um pouco de lado. Acho tudo pouco acessível aos paratienses que querem participar, pois os livros estão caros. Devemos valorizar o local e não só o público.”
Raphael Bergold, 32 – empresário de Turismo, de Paraty – RJ

“Adoro a Flip. Essa é a nona vez que venho e cada edição é inovadora. O público está melhor e o tema nordestino me ajuda a divulgar meus livros. As pessoas costumam assimilar meu trabalho com o do Graciliano Ramos.”
Paulo Cavalcante, 53 – professor de história, de Campina Grande – PB

“Primeira vez que venho, o evento tem a cara de Paraty. É uma festa incrível. Cheio de atrações para todos os públicos.”
Antonio Ribeiro, 62 – escritor, de Curitiba – PR

“Gosto da Flip, pois meu trabalho envolve literatura. É minha segunda vez no evento e aproveito para divulgar meu trabalho, participando de saraus que ocorrem pela cidade.”
Nélio Fernando, 32 – ator e palhaço, de Jacarepaguá – RJ

Lauro e Benedicta Albuquerque, ambos de 73 anos, são moradores de Ubatuba – SP, e acharam a Flip um evento muito bacana, que traz cultura para pessoas de todas as idades. É a primeira vez deles na cidade e estão gostando bastante. Porém, acham que é preciso criar mais atrativos para o povo. “Como sou mais curioso que minha esposa, fui conhecer mais as atrações da Flip. Visitei sessões de autógrafos e assisti algumas palestras.”, afirma Lauro.

Texto: Victória Gonçalves, Nathalya Moreira e Izabela Fonseca

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s