Mário de Andrade, lendas e mitos

A 13º FLIP homenageia Mário de Andrade e traz como uns dos temas o livro Macunaíma.

O escritor paulista não se considerava um folclorista, mas um apaixonado pelo tema. Tinha grande interesse na música. É considerado um dos primeiros musicólogos brasileiros, principalmente dos ritmos nordestinos. Apesar disso, Mário de Andrade incentivou todo o Brasil ao o estudo e pesquisa científica do folclore.

Foi Diretor do Departamento de Cultura da Prefeitura Municipal de São Paulo entre 1937 e 1938, incentivou e orientou as primeiras expedições científicas do folclore brasileiro.

A obra Macunaíma é fruto do conhecimento reunido por Mário acerca das lendas e mitos indígenas e folclóricos.

Mas o que é o folclore: podemos definir como folclore, um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. Muitas destas lendas e mitos deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.

O paratiense Lucas Martins, de 22 anos, contou sobre a lenda da noiva.

As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. Buscam dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.

Paraty também tem suas lendas e folclores. Entrevistamos Lucas Martins de Oliveira, de 22 anos, morador da cidade de Paraty. Ele nos contou a lenda sobre “A noiva de Santa Rita”, que é a seguinte:

Na véspera de seu casamento, uma noiva amanheceu morta causando grande tristeza à família e ao noivo. Este, inconformado, ficou na porta da igreja e ninguém conseguiu tirá-lo dali.

Ao anoitecer, viu um vulto sair do cemitério, vestido de noiva. A viu bebendo água no chafariz em frente à igreja. Ao reconhecê-la, perguntou o que estava fazendo ali e ela respondeu que havia morrido de sede.

Desesperado, avisou a todos. No dia seguinte abriram a sepultura e encontram o corpo de bruços no caixão.

Assustador!

Isabela Zorgdrager, 16 anos, Joani Carvalho, 20, e Nádia Carvalho, 17.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s