Luís Perequê faz show de abertura às 21h30: ‘Muita responsabilidade, mas me sinto bem’

O cantor e compositor Luís Perequê, músico local que fala sobre a cultura caiçara e a natureza de Paraty em suas músicas, faz daqui a pouco, às 21h30, o show e abertura da Flip 2015. Tivemos a oportunidade de entrevista-lo rapidamente no camarim. Em uma conversa bem humorada e agitada, Perequê, que estava com sua mulher, comentou um pouco sobre como será sua apresentação no palco da Flipinha, na Praça Matriz.

DIVULGAÇÃO/ PREFEITURA DE PARATY

DIVULGAÇÃO/ PREFEITURA DE PARATY

Como você se sente fazendo o show de abertura da Flip deste ano?

Sinto-me com muita responsabilidade, sinto que estou contribuindo com a cultura de Paraty, me sinto bem, também me sinto muito bobo (Risos).

E o que vocês espera do púbico?

Eu sou um artista que quebrou as regras que ”santo de casa não faz milagre“. Sou muito bem querido em Paraty e nessa região, até porque eu trabalho com muita paixão.

O que você acha da Flip?

Eu acho que é um evento que movimenta muito na questão financeira, na questão cultural, e que não deveria acabar nunca.

Você frequenta a Flip?

Independente de trabalhar na Flip como artista, também gosto muito como paratiense e como bom morador que sou.

Possui alguma Experiência ou algo que te marcou?

Sim. Foi quando eu fiz um show de abertura do Gilberto Gil, que é meu ídolo.

E as Parcerias?

Terei a ilustre oportunidade de cantar com Daniela Lasalvia, além dos Cirandeiros de Paraty.

Victória Carolina Manso, de 15 anos, Marina Barros Santander, de 12, e Rodrigo e Luigi

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Sesc Paraty compõe programação da Flip

O Sesc Paraty está com uma programação que conta com exposições, biblioteca infantil com mediação de leitura, intervenções literárias e um bate-papo com as vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura deste ano. O Centro Cultural Sesc da cidade surgiu a partir da relação da instituição com a Literatura. As apresentações dos trabalhos da instituição, realizadas anualmente no período da Flip, evoluíram para a criação deste espaço, “que tem como objetivo oferecer ao público ações de educação, cultura e incentivo à produção artística local”, de acordo com o material de divulgação do Sesc.

11665414_723830524383959_4265172289203769165_n

A sede principal fica no Largo de Santa Rita e a casa de apoio na Rua da Matriz, 20.

A nossa equipe conversou com o Daniel Ferenczi, assessor técnico de cultura do SESC Paraty e que também coordenou a FlipZona por 5 anos. Segundo Daniel, o Sesc tem uma relação com a Flip há 7 anos, criando projetos culturais e sociais, desenvolvendo atividades conjuntas com a Casa da Cultura de Paraty e com a Associação Casa Azul. Logo de início, ele ressaltou que o SESC veio a Paraty através da OFF Flip, uma premiação de conto, poesia e literatura infanto-juvenil, que ocorrem paralelos à Flip. Este ano, a premiação acontecerá no espaço do Sesc, no dia 2 de agosto.

DSC00034

Daniel comentou que a instituição apoia duas mesas da Tenda do Autores da Flip: a mesa Amar, verbo transitivo, com Ana Luisa Escorel, e a mesa Desperdiçando verso, com Arnaldo Antunes. O SESC também apoia os shows de música, poesias e espetáculos de teatro que acontecem durante o evento. Os principais temas que o Sesc exibirá são voltados à música, artes plásticas, artes cênicas, artes visuais e cinema. “Mas a literatura é o estopim para tudo isso”, disse Daniel.

Repórteres entrevistam Daniel Ferenczi, no centro

Repórteres entrevistam Daniel Ferenczi, no centro

Maria Vitória Santana, Braz Mendes, ambos de 15 anos, e Henrique Braga, de 17

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Paraty agora: uma noiva pouco antes do matrimônio

A incrível preparação para festa começou. A cidade agora se compara a uma noiva poucas horas antes de seu matrimônio. Tão próximos desse momento tão especial, silêncio é uma palavra que não existe mais. Paciência e concordância foram tiradas do vocabulário como doce pode ser tirado da boca de uma criança.

DSC02338

Passeando pela cidade percebo cenas que só acontecem nessa época. Com tanta perfeição envolvida, a paz de alguns já se abalou, ou está prestes a se abalar com coisas mínimas, como a moça na esquina da igreja, que só falta arrancar os cabelos porque a porta não fecha, ou a criança que berra na praça por não poder escalar a cenografia do evento. Bom, cada um com seu jeito de reduzir a ansiedade. Mas o ideal seria não quebrar parte da festa antes mesmo de começar, ou esmurrar uma porta que, afinal, não tem culpa de nada.

O chefe do restaurante ao lado lida com a espera cantando. Não importa quanto tempo falta, lá está ele expondo todo o seu repertório . Nada pode tirar a paz dele. Imagina então a paz daquele que está dormindo na praça. Chega a ser engraçado o fato de tirar uma soneca tão tranquila em meio ao caos. Em uma de suas ruas, um homem pinta a parede como se fizesse a unha da noiva.

Com a tensão pré-começo já estabelecida, com pessoas abaladas, e outras bem calmas, o que nos resta é esperar a aurora de amanhã aparecer no horizonte, para começarmos a extravasar toda essa ansiedade. E continuarmos a criar novas cenas na cidade.

Nathália Nascimento, 14 anos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O encontro entre cinema e literatura é tema da 1ª mesa da FlipZona

Onde a literatura e o cinema se encontram. Esse foi o tema da primeira mesa da FlipZona, que ocorreu nesta quarta, às 10h30, com Alessandra Roscoe e Dilea Frate. O encontro começou com a leitura dos livros escritos pelas autoras. Logo em seguida, elas contaram suas primeiras relações com a literatura, revelando que o primeiro livro que leram na vida foi o mesmo: Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato. Ambas tiveram apoio de seus pais, desenvolvendo desde pequenas o amor pela literatura.

ester e dani 01-06

Alessandra conta que também teve influencia de seu tio jornalista na escolha de sua profissão. Dilea revela que seu primeiro livro, Pequi – Uma aventura além da mata, foi feito para o filho de sua amiga, que tinha sofrido graves queimaduras e, para presenteá-lo, escreveu um storyboard contando uma história sobre o menino Tupi que havia sofrido um acidente. Mais tarde, o livro foi publicado por uma editora interessada em histórias indígenas.

Alessandra ganhou aos nove anos um concurso de literatura, tendo seu primeiro livro publicado. Mais velha, teve influência de sua filha, que a “trouxe para o mundo da fantasia”, segundo ela. “O interesse dela pelas as estrelas fez com que eu publicasse o livro”, diz. A Menina que Pescava Estrelas virou animação mais tarde.

O livro A menina que Carregou o Mar nas Costas ,de Dilea Frate, foi mais tarde adaptado em curta metragem e ganhou o nome de O mar de Teresa. Foi inspirada em uma menina, também chamada Teresa, que um dia resolveu levar um pouco do mar consigo. Dilea acredita que é possível narrar um filme do mesmo jeito que se narra um livro.

Ambas acreditam que a tecnologia não influencia no interesse pela literatura, mas cabe aos pais influenciarem seus filhos, tornando assim o momento de leitura mais interessante que o mundo digital.

Daniela Marsico e Ester Tinoco, ambas de 14 anos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Flip terá oficina de design de livros

Ano pós ano, a Flip sedia oficinas e cursos concorridos onde são produzidos conteúdos com os temas mais variados. Em 2012, Laerte e Angeli conduziram uma oficina de quadrinhos. No ano de 2013, Paulo Roberto Pires ministrou a oficina literária que teve como tema o Ensaio, gênero fronteiriço entre o jornalismo e a literatura e, no ano passado, o tema foi Documentário, quando participaram a montadora de filmes Jordana Berg, o documentarista João Moreira Salles, o cineasta americano Charles Ferguson e o cineasta brasileiro Cacá Diegues.

Já neste ano, a tão concorrida oficina literária dará lugar a uma oficina de design de livros, onde a diretora de arte da Editora Cosac Naify, Elaine Ramos, e a designer holandesa Irma Boom apresentarão duas abordagens distintas do livro como objeto artístico, desde o artesanal ao industrial. Na oficina, cada aluno deverá produzir um pequeno livro, tendo como base textos de Mário de Andrade (1893-1945), autor homenageado da Flip 2015.

A oficina vai de quinta a sábado e acontece na Pousada Literária, Centro Histórico. Infelizmente, as vagas já estão esgotadas.

Luy Albino

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Comerciantes estão ansiosos com começo da Flip

Nossa equipe foi às ruas de Paraty para descobrir quais são as expectativas dos comerciantes locais para os dias de festa literária. A maioria das pessoas consultadas espera que o movimento do comércio aumente. Conversamos com a gerente da Pousada Villa do Porto, Martha, de 58 anos, que contou que a pousada já está lotada.

Para o guia de turismo Wado Corrêa, 33, o fluxo de turistas está muito baixo em comparação ao ano anterior. “Vamos receber apenas dois grupos. Desejamos que o movimento ainda aumente.”.

A preocupação principal é que a situação econômica do País tenha impacto negativo no movimento. Há também apreensão referente a casos recentes de violência na cidade, mas, em geral, os comerciantes estão esperançosos com o início da festa e o reforço da segurança.

Samanta Paola Sá de Souza, de 13 anos, e Manuela de Jesus Garcia, de 12

Publicado em 2015 | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Turistas começam a ocupar as ruas de Paraty

Turistas de todos os cantos do mundo já estão chegando a Paraty para a festa Literária, que começa nesta quarta-feira, 1. A maioria dos turistas está na cidade para participar da Flip, mas há muita gente que veio apenas a passeio, independentemente da Flip – mas acabaram aproveitando para conhecer um pouco mais sobre a festa.

Amantes da leitura, a psicóloga Úrsula Leuch , de 77 anos, e a ceramista Isolde Alves, de 76, que vieram de Jundiaí (SP) e Joinville (SC), respectivamente, participam da Flip há mais de sete anos . “Nós viemos porque gostamos dos autores, das atrações do SESC, Casa da Cultura, de tudo”, explica Úrsula.

Isolde e Ursula curtem Paraty

Isolde e Ursula curtem Paraty

Já a assistente social Bianca Novo, 30, e o bancário João Mendes, 34,  vieram de São Paulo (SP)  e nem sabiam do evento. Por influência de um amigo que vem para a Flip, resolveram ficar na cidade e aproveitar a programação completa da festa.  Para Bianca, tudo está sendo novidade. “Paramos aqui porque eu nunca tinha vindo; na verdade, vamos ficar em Ubatuba, mas aqui é pertinho, vamos ficar até semana que vem”.

João e Bianca curtem romance no centro histórico

João e Bianca curtem romance no centro histórico

O público que chega à cidade é bem diversificado, alguns já bem decididos quanto à atração que irão acompanhar, como é o caso da estudante de tradução,  Luiza Leite, 24, e da estudante de literatura, Clarissa Marinho, 27, ambas de Niterói. “Já acompanhamos o evento há três anos e viemos especialmente para a mesa com o escritor brasileiro Luis Ruffato”, comenta Clarissa.

Luiza joga seu charme

Luiza joga seu charme

E quem pensa que jornalista só vem para Flip trabalhar: engana-se. A jornalista holandesa Laura Postman,31, está no Brasil pela primeira vez e veio direto à Paraty.  Na verdade, a intenção não é a Festa, mas ficou sabendo dela e uma coisa puxou a outra. Quando perguntada se voltaria ao Brasil, Laura não escondeu o interesse. “Por que não? É maravilhoso!”

A uruguaia Beatriz Antonoff, de 71, está em Paraty para visitar a cidade mas não vai conseguir ver a Flip. “Primeira vez em Paraty. Vim para visitar e já vou ter que voltar para o Rio”, diz ela, que é professora de ginástica.

Turista uruguaia visita a Flip

Turista uruguaia visita a Flip

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Themilton Tavares expõe na Casa da Cultura

Entre algumas das atuais exposições localizadas na Casa da Cultura de Paraty, encontra-se a de Themilton Tavares. A exposição traz tudo o que o artista produziu nos 40 anos em que morou na cidade de Paraty.

expo

Nascido em Niterói, mudou-se para Paraty, onde chegou a receber o título de cidadão honorário da cidade.

Fez de tudo um pouco. Foi ator, escritor (de livros e crônicas publicadas em jornais), professor, editor de jornal, presidente da Casa da Cultura, produziu peças, escreveu músicas, teve programa de rádio, trabalhou na Eco TV e foi influente no carnaval paratiense. Entre tantas atividades, Themilton encontrava sempre um tempo para as artes plásticas, tendo em grande parte o foco para as festas populares ocorridas em Paraty, como o carnaval e a festa do divino. Sua peça mais conhecida e tocante foi da “Vida de Cristo” com músicas de sua autoria. Tendo também como suas principais peças: Itaorna, pedra podre (que critica a usina atômica); Liberdade para o boi malhado; O reizinho mandão.

A exposição foi aberta no dia 8 de maio de 2015 e fica disponível até 5 de julho. A entrada é gratuita. A Casa da Cultura fica aberta de terça a domingo, das 10h às 22h. A produção, curadoria e montagem são de Emanuel Gama e Fernando Fernandes.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Novos talentos se apresentam na Hora da Estrela

A Hora da Estrela  é show que reúne  artistas da cidade e também alguns de fora para mostrarem seu talento.  Este ano, o evento, que faz parte da programação da FlipZona, acontece na Casa da Cultura, no domingo, dia 5, às 14h. A entrada é gratuita mas os lugares são limitados (160).

A atriz Bruna Linzmeyer vai fazer a abertura. O evento foi idealizado em uma oficina de produção cultural, conta a estudante Gabriela Marsico, de 19 anos, que participou do trabalho entre 2012 e 2013. “Na oficina, foi criado o ‘3 vezes cultura’, que tinha incluso a Hora da Estrela , Cine Zona  e Curto Curtas . Esse formato só teve duas edições. Atualmente, a Hora da Estrela faz parte da programação oficial”, diz Gabriela. Estudantes têm preferência entre os trabalhos escolhidos.

hrestrela

O paratiense Diego Lourenço , de 17, participa da produção e direção do evento pela primeira vez.  “Pensei  que fosse tudo bem complicado , porém está fluindo tudo tranquilamente” . A Thalia Oliveira, de 18, também participará pela primeira vez da Hora da estrela. Vai apresentar a peça Macunaíma, inspirada na obra de Mário de Andrade.  “A gente vai fazr uma atualização da obra para os dias atuais”, diz Thalia.

O logotipo  da Hora da Estrela também é criação da FlipZona. O desenho é de autoria de André Pádua, de 18, e da Thalia. “É a primeira vez que crio um logotipo para a Hora da Estrela, o processo de criação foi de muitas descobertas a respeito desse evento que faz parte da programação da FlipZona.”

André Pádua e Thalia Oliveira, ambos de 18

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Tenda dos Autores passa por últimos retoques

A Tenda dos Autores, onde ocorrem as principais mesas com escritores na Flip, está na fase dos últimos retoques para a abertura da festa, na quarta-feira, dia 1, a partir das 19h. “Hoje estamos fechando os últimos detalhes, como a chegada das unidades móveis e o reposicionamento das grades”, explica Kadu Rocha, coordenador da montagem geral da Tenda dos Autores.

O local conta com auditório para 900 pessoas, livraria, mesa de autógrafos, parte externa para 500 pessoas e praça de alimentação.

IMG_20150630_121833

IMG_20150630_122844

Quem esteve na Flip no ano passado, e passou pela Tenda dos Autores, percebe algumas mudanças neste ano. Uma delas é a estrutura que está um pouco reduzida em comparação ao ano anterior. Em contrapartida, o espaço ganha um telão de 4,5 x 2,20 metros, que irá passar simultânea e gratuitamente para aproximadamente 500 pessoas as mesas que ocorrerão dentro do auditório. Outra novidade acontece na praça de alimentação, que contará com caixas de som que também irão reproduzir o áudio do auditório.
Como todos os anos, a mesa de abertura será sobre o autor homenageado. Neste ano Mário de Andrade foi o escolhido. Beatriz Sarlo, Eliane Robert Moraes e Eduardo Jardim participam da mesa “As Margens de Mário”, que busca compreender a dimensão do escritor na atualidade.

Confira a programação aqui.

Kelly Helena

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Cenotecnia da Flipinha em construção

A FlipZona visitou na última quinta-feira, 25, o galpão onde aconteceu a oficina de cenotecnia da Flip, na Ilha das Cobras. O resultado final do trabalho servirá de cenário para o palco da Flipinha e para decoração da Praça da Matriz.

flipinha

Coordenado pelos cenógrafos Matheus Andreatta e jorge Constantino, a oficina produziu seis esculturas de animais, feitas de material reciclado e ecológico, como tiras de pano e pedaços de bambu. O Macaco, a ave, a cobra, a tartaruga, o peixe e o jacaré compõe o tema inspirado por desenhos indígenas publicados no livro de Theodor Koch-Grünberg, antropólogo alemão que, em 1905, realizou uma pesquisa no Alto Xingu, contribuindo para uma posterior influência na obra Macunaíma de Mário de Andrade.

“Hoje precisamos ainda aprender mais o que é Mário de Andrade, aplicar suas teorias na educação, conhecer o que é o brasileiro e discutir nossa identidade”, disse Jorge Constantino à reportagem.

flipinha2

flipinha3

O projeto das peças começou há dois meses e a oficina durou 2 semanas. Contou com a participação de moradores envolvendo a comunidade paratiense com o objetivo de trabalhar com novas linguagens e técnicas de cenotecnia.

Uma das participantes, Sheila, já havia composto a equipe de cenotecnia da Flip em 2013. Ela gostou muito de participar novamente. “Este ano foi um tema diferente, está muito colorido, gostei bastante”, disse ela.

Carlos, outro participante, contou sobre a rotina de trabalho, que foi das 9h às 17h. Apesar da carga horária pesada, o clima foi bem descontraído e prazeroso. “Espero que as peças possam alegrar as crianças e possam mostrar um pouco do trabalho do paratiense.”
O final deste trabalho você pode conferir a partir de quarta-feira, dia 1, quando começa a Flip . Não perca!

Rafaela Marsico, de 16 anos, e Pedro Alegria, de 17

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Quase tudo pronto na Central FlipZona!

A Flip começa oficialmente na quarta-feira, 1, mas na redação da Central FlipZona já está quase tudo pronto! Os jovens repórteres farão a cobertura de todos os detalhes da festa literária e de tudo que está acontecendo em Paraty nesta semana.

Não perca os detalhes aqui no nosso blog. Pelo quarto ano consecutivo, a Central FlipZona conta com a colaboração do repórter Paulo Saldaña, do Estadão, que acompanha os repórteres da pauta à publicação dos textos. Na parte dos vídeos, é a equipe do Canal Futura que colabora na coordenação.

flipzonateasear

Nossa redação neste ano fica aqui na Praça da Matriz, no antigo cinema, junto com a biblioteca da Flipinha.

Atenção:

Às 10h e 14h de amanhã, terça-feira, dia 30, teremos um workshop sobre os segredos da produção de textos e vídeos. É hora de ficar afiado para a cobertura!

E para quem não entregou as fichas de inscrição para participar da FlipZona, corra porque as vagas são limitadas (e estão acabando). Não esqueça da assinatura dos responsáveis.

Redação FlipZona e biblioteca da Flipinha

Redação FlipZona e biblioteca da Flipinha

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A CENTRAL FLIPZONA

Contagem regressiva para a Festa Literária Internacional de Paraty, falta pouco para a Central FlipZona entrar no AR.

IMG-20140802-WA0015

ÁUDIO VISUAL com as orientações da Professora Aline Resende

PRODUÇÃO DE TEXTO com as orientações de Leandro Leocádio e Paulo Saldaña (Estadão)

Períodos: manhã das 9h às 13h / à tarde das 14h às 18h

Inscrições na Central FlipZona – CINEMA DA PRAÇA DA MATRIZ 

vagas limitadas

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Mesa – Origem periferia: um encontro sobre literatura e arte

Na Casa da Cultura de Paraty, dia 03/7 sexta-feira, às 8h30

1Z3A8302   Jessé Andarilho

ThiagoMartins_CréditoAndréNicolau (2) (2)   Thiago Martins – foto: André Nicolau

veronica lessa   mediação: Veronica Lessa

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

De olho no ENEM

De segunda a sexta-feira você tem um compromisso com o seu futuro, na Biblioteca Casa Azul: preparar-se para as provas do Enem.quadro de aulas do ENEM 1 (2014) (alterado e corrigido)

Confira a programação das aulas e seja assíduo. Quem sai ganhando é você!

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Comerciantes comemoram bom movimento

Fora a Flip, a cidade oferece um conjunto comercial magnífico, como as pousadas, os restaurantes com comidas típicas da região, lojas artesanais maravilhosas e nossa livraria de Paraty. Imaginem como seria a Flip sem esse comércio?

Conversamos com a incrível Dona Regina, de 70, da Pousada Flor do Mar. Uma pousada voltada para a Praia com apenas oito quartos com suítes. Ela disse que o movimento foi melhor que o ano passado, a ponto de indicar outras pousadas e casa de amigos a turistas que não tinham onde ficar. “O público é bom, porque são intelectuais e alguns famosos”, disse. Além de contar com hospedes antigos que frequentam o evento desde a primeiro edição.

Gis, 51, do belíssimo Atelier armazém Santo Antonio, vende decorações lindas. “Teve um público variado com mais jovens em relação ao ano passado”, disse. Ela percebeu que, apesar de ter havido mais movimentos, as vendas foram menores do que no ano passado – mesmo abrindo das 10h às 23h.

Luana Reis, de 16, filha da dona da livraria de Paraty, contou que o movimento deste ano foi bem melhor que o ano passado, com um público mais adulto. Ela não mudou o horário de funcionamento para o evento, mantendo a abertura às 9h e fechando às 22h.

Na saborosa Sorveteria Miracolo, que tem o melhor cardápio de massa da cidade, conversamos com seu Roberto, de 57. “O movimento foi mais agitado este ano”, diz ele, que ressalta o público “diversificado e intelectual”.

Pedro Alegria, de 16 anos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Paratiense de 23 anos lança livro na Flip

Thiago Pires é um jovem paratiense de 23 anos que lançou seu primeiro livro, Estranho Universo, na sexta-feira na Flip. O lançamento contou com a presença da mídia, amigos, familiares e alguns admiradores do seu trabalho. Em conversa com a Central FlipZona, o jovem escritor nos falou sobre a relação do livro com a cidade entre outras de suas preferências. “Sou um caiçara.”

Quais foram suas inspirações ao escrever o livro?

A maior inspiração do livro é Paraty. Por que de tudo um pouco rodeia essa cidade, e me rodeia internamente.

Quando tempo levou até finalizar?

Olha, tenho coisas de 2010, 2011, 2012 e 2013, eu fui juntando algumas e quando vou escrever, eu não sei escrever pausadamente, eu vou e escrevo de uma vez só, o negócio deságua. Então, é desse jeito que eu faço. Faço algumas correções, dou uma lapidada, mas de certo modo não mudo quase nada.

Você disse que se inspira muito em Paraty! Então, qual a relação entre o livro e a cidade?

Ah, eu sou nascido e criado aqui, sou caiçara e marinheiro, é uma relação quase espiritual.

O que é o Estranho Universo?

O Estranho Universo é essa busca que é o universo interior, que eu vou desbravando e é o meu desver do mundo, que eu faço de maneira construtiva, mas de forma que eu tento ver de um modo desconstrutivo, para construir esse estranho universo que ao mesmo tempo me desconhece mas eu tento conhecer.’’

Pretende lançar outros livros?

Seja o que vier, parar de escrever eu nunca parei. Tanto que quando eu finalizei o livro, durante cinco meses, eu fiquei esse tempo todo sem escrever nada, de um mês para cá eu escrevi três poesias, e já troquei com as que eram do livro, não quis escrever outras, não, iria trocar tudo. Mas agora vou voltar a escrever de novo.

Qual o seu autor preferido?

Clarice Lispector.

Qual sua poesia preferida do seu livro?

É difícil, pois eu gosto de todas, principalmente estrada real, que é como uma prosa, gosto do Autodidata.’

Lorraine Viana, 17
Catarina Costa, 19

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Tudo que é bom acaba…

Como tudo que é bom acaba um dia, com muita tristeza chegamos ao final da Flip. Nessa despedida carregamos uma bagagem cheia de conhecimento e experiências vividas. “Eu estou felicíssima por mais um ano, todo ano que passa a galera da FlipZona surpreende, minhas experiências aqui foram incríveis”, afirmou Pámela a recepcionista da central FlipZona.

Nesses 5 dias de festa, muitas pessoas aprenderam que a literatura é tão importante quanto qualquer coisa, e tanto os locais como os visitantes levarão essa lembrança consigo.O fechamento dessa programação surpreendente arranca suspiros de tristeza de todos. “Estou muito triste com o final da Flip, pois não consegui aproveitar quase nada”, comentou o estudante de 12 anos Adhan Carvalho.

Mesmo sendo o último dia os artistas de rua e vendedores ainda aproveitam a chance chamar atenção das pessoas e afirmam que a festa é uma das que mais gera lucro para eles.
De acordo com a engenheira agropecuária Liliane Santos ,39, a Flip deveria ter um sistema de divulgação muito melhor. “Acho eventos como esse maravilhosos, mas divulgação deveria ser um pouco melhor”, diz. “Acho que para terminar com chave de ouro só faltou um show de encerramento”, disse Carlos Oliveira, estudante, de 13.

Como não podemos alterar essa situação temos que aproveitar ao Maximo essas horas finais de Flip que nos restam, agora é o momento de ler embaixo de um pé-de-arvore pela última vez e tirar uma foto final agarrado a uma das letras gigantes espalhadas pela praça.
Sei que é triste terminar mas pense pelo lado positivo,isso não é um adeus e sim um até o ano que vem.

Nathalia Nascimento, de 13 anos

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Um até logo

A Flip 2014 acaba agora e, com ela, nossa redação da Central FlipZona também começa a diminuir o ritmo :(

Foram sete dias de produção intensa na Central FlipZona! Desde segunda-feira, dia 28, nossos jovens repórteres, todos aqui de Paraty, percorreram toda a cidade atrás das notícias, histórias e também para acompanhar as mesas e eventos da Flip. Se você esteve em Paraty, certamente viu as camisetas vermelhas de nossos repórteres por aqui.

Foram mais de 70 posts, que provocaram uma audiência acumulada de 2,5 mil visualizações. Pelo terceiro ano consecutivo, a Central teve a parceria do Estadão e o repórter Paulo Saldaña, do caderno Metrópole, acompanhou os participantes da pauta à edição dos textos.

A FlipZona contou ainda com a monitoria da professora Thalita Aguiar, do escritor Leandro Leite Leocadio e também com a coordenação da Aline Resende.

Mas não fique triste, porque o blog continua. Confira os próximos posts ;)

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

LEIAM!!!

Aghatta Viana Albino Mello, estudante na Escola Municipal da Mangueira,10 anos,tem aberto em sua casa uma biblioteca feita por ela mesma, inaugurada em 2012, mas com o passar do tempo a abertura constante da biblioteca foi diminuindo e por falta de espaço acabou sendo aberta raramente,conta Aghata.

DSC08174

A estudante abriu especialmente sua biblioteca para uma entrevista com a Rede Globo que acabou não comparecendo. Mas ainda assim a montagem feita por Aghatta continua aberta para que seus amigos também tenham contato e incentivo dado por ela com a leitura.

DSC08181

Aghatta Viana nos conta que sua idéia inicial para a biblioteca era ajudar os pais que por causa do seu trabalho não podiam ficar com os filhos e para que não ficassem na rua podiam estar em sua casa seguros e em contato com livros. Ela nos fala que em um dia houve três tiroteios e em sua biblioteca estava com várias crianças, “imagina se estivessem na rua”, diz Aghatta.

DSC08178

A nossa jovem entrevistada tem como exemplo sua professora que a ajudou a divulgar sua biblioteca e a incentivou na leitura. Aghatta tem como seu livro favorito “Quero meu penico”,e guarda  junto com seu acervo um livro autografado por Luis Dill e uma coleção de livros bem antigos doados pelo um amigo de seu pai.

“Leiam!” é a mensagem que Aghatta Viana Albino Mello deixa para todos.

Daniela Marsico,13 anos

Fotos de Braz Nicolas,14 anos

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário